Juiz aposentado é vítima de seqüestro relâmpago

O juiz de direito aposentado J.O.C.P., de 65anos, e sua mulher V.P., 63, foram vítimas de um seqüestro relâmpago e ficaram mais de 10 horas em poder de assaltantes, nesta quinta-feira, em Sorocaba, cem quilômetros a oeste de São Paulo. O casal foi torturado e abandonado ferido, no meio da mata na Serra de São Francisco,município de Votorantim.Os ladrões deixaram o juiz acorrentado a uma árvore. Ele e a mulher, abandonada em outro local, foram salvos por um motorista que se perdera. A pedido da família, a polícia divulgou apenas as iniciais dos nomes das vítimas.O casal foi rendido no começo da tarde, quando saía de uma pista de caminhada existente nasproximidades do Parque Zoológico Quinzinho de Barros em direção ao carro. Os dois foram colocados em seu próprio veículo, um Honda Civic, e os ladrões os levaram para Votorantim.Na Estrada dos Morros, a mulher do juiz aproveitou um descuido dos assaltantes e pulou do carro em movimento. Ela fraturou a perna na queda. Os ladrões manobraram o veículo e a pegaram outra vez. A mulher foi agredida. Uma pessoa presenciou a cena e avisou a polícia.Policiais militares deram buscas na região mas nãolocalizaram os suspeitos. O carro foi encontrado horas mais tarde, em chamas, próximo à Represa de Itupararanga. O juiz foi achado só à noite por um motorista que seguia de Alumínio para Votorantim por uma estrada rural.Ele se perdeu e entrou num atalho. Ao ver um homem acorrentado, a esposa do motorista entrou em desespero por supor tratar-se de uma cilada preparada por ladrões. Ele foi obrigado a deixar o local, mas alguns quilômetros adiante ligou para a polícia.Os policiais vasculharam a região e libertaram o juiz. Sua mulher foi encontrada horas depois, bastante ferida. Ela foi levada inicialmente para o Hospital Regional e transferida, depois, para um hospital particular.Nesta sexta, seu estado de saúde era bom. Cartões do juiz teriam sido usados para saques em caixas eletrônicos. A polícia não informou quanto foi roubado. Os policiais identificaram pelo menos um suspeito e estavam à sua procura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.