Thomas Santos/AGIF
Thomas Santos/AGIF

Juiz autoriza Bruno a ficar detido em Varginha (MG)

Goleiro joga no Boa Esporte, time da cidade; ele havia sido transferido para Três Corações

O Estado de S. Paulo

28 Abril 2017 | 20h24

O juiz da Vara de execuções de Contagem (MG), onde ocorreu o julgamento do jogador Bruno Fernandes, atendeu pedido da defesa do goleiro e autorizou o atleta a cumprir pena em Varginha, onde ele mantém contrato com um time de futebol, o Boa Esporte. 

Bruno havia sido transferido na quinta para Três Corações, após o Supremo Tribunal Federal suspender liminar que o mantinha em liberdade. As informações são do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG).

Nesta semana, a 1.ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu mandar de volta para a prisão o goleiro Bruno, condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho. 

Por três votos a um, o colegiado decidiu não referendar a liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello em 21 de fevereiro, que o havia liberado com os argumentos de que o jogador tem bons antecedentes e que o recurso da defesa ainda não fora apreciado pelo Tribunal de Justiça mineiro. Bruno foi condenado em março de 2013 a 22 anos e seis meses de prisão. Desta pena, ele cumpriu seis anos e sete meses de detenção em regime fechado. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.