Juiz concede habeas-corpus a promotor de show em Curitiba

O desembargador Jesus Sarrão, do Tribunal de Justiça do Paraná, aceitou hoje o pedido de habeas-corpus para o empresário Athayde de Oliveira Neto, de 23 anos, suspeito de ser o responsável pelo show Unidos pela Paz, realizado no Jockey Club de Curitiba, no dia 31 de maio, que resultou em três adolescentes mortos. Com prisão temporária decretada, o empresário está desaparecido desde a noite do show. As circunstâncias em que ocorreram o evento e as mortes também estão sendo apuradas pelo Ministério Público. Com o habeas-corpus, é possível que o empresário se apresente à polícia para dar sua versão sobre os fatos. O nome de Oliveira Neto aparece em alguns documentos apreendidos como sendo o organizador do evento. Segundo a polícia levantou até agora, o Corpo de Bombeiros não havia dado autorização para a realização do show por constatar diversas irregularidades no local. O tumulto ocorreu no portão de entrada. Como o show já havia começado, a multidão - segundo o Ministério Público apurou, foram vendidos 15 mil ingressos a mais que o local comportava - passou a fazer pressão e as pessoas que estavam próximas à grade foram esmagadas e pisoteadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.