Juiz decreta prisão preventiva de outro PM acusado pela morte de juíza no RJ

Handerson Lents Henriques da Silva teria indicado o endereço de Patrícia Acioli aos assassinos

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

29 de setembro de 2011 | 17h24

SÃO PAULO - O soldado da Polícia Militar Handerson Lents Henriques da Silva, acusado de participar do assassinato da juíza Patrícia Acioli, teve sua prisão temporária decretada nesta quinta-feira, 29. A decisão é do juiz Petersen Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, e vale pelo prazo de 15 dias.

De acordo com o pedido de prisão feito pelo delegado titular da Divisão de Homicídios, Felipe Ettore, e reiterado pelo Ministério Público, o soldado Lents teria indicado o endereço da juíza aos assassinos no mês de julho, cerca de um mês antes do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.