Juiz decreta prisão preventiva de outro PM acusado pela morte de juíza no RJ

Handerson Lents Henriques da Silva teria indicado o endereço de Patrícia Acioli aos assassinos

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

29 Setembro 2011 | 17h24

SÃO PAULO - O soldado da Polícia Militar Handerson Lents Henriques da Silva, acusado de participar do assassinato da juíza Patrícia Acioli, teve sua prisão temporária decretada nesta quinta-feira, 29. A decisão é do juiz Petersen Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, e vale pelo prazo de 15 dias.

De acordo com o pedido de prisão feito pelo delegado titular da Divisão de Homicídios, Felipe Ettore, e reiterado pelo Ministério Público, o soldado Lents teria indicado o endereço da juíza aos assassinos no mês de julho, cerca de um mês antes do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.