Juiz decreta prisão preventiva de tio de Vedoin

O juiz da 3ª Vara Federal do Mato Grosso, César Augusto Pearsi, decretou neste sábado a prisão preventiva de Paulo Roberto Trevisan, tio do empresário Luiz Antônio Vedoin, acusado de chefiar a máfia dos sanguessugas. O magistrado também pediu a detenção de Gedimar Pereira Passos e Valdebran Carlos Padilha por cinco dias.Os três iriam negociar provas de envolvimento de políticos com a máfia dos sanguessugas. Paulo Roberto foi preso em casa, às 7 horas, e foi transferido para o presídio Pascoal Ramos. Ele havia sido detido na sexta-feira (15) no aeroporto de Cuiabá, e liberado logo depois. Na ocasião, Trevisan carregava consigo com uma fita de vídeo, um DVD e fotos tiradas em 2002 que possivelmente vinculariam políticos do PSDB ao esquema de compra superfaturada de ambulâncias.Está marcada para a tarde deste sábado uma coletiva de imprensa em que a Polícia Federal irá apresentar novas provas contra a quadrilha especializada em superfaturar a compra de ambulâncias com recursos da União.Trevisan é acusado de tentar vender um suposto dossiê com envolvimento dos candidatos do PSDB à presidência da República, Geraldo Alckmin, e ao governo de São Paulo, José Serra, com a máfia dos sanguessugas. A prisão de Paulo Roberto Trevisan é temporária por cinco dias, mas pode ser renovada por mais cinco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.