Juiz determina formação de rede de TV para direito de resposta

Uma rede de TV será formada neste sábado, dia 30, para que sejam veiculados os direitos de resposta obtidos a partir do último dia da propaganda eleitoral gratuita. De acordo com a decisão do juiz auxiliar Roberto Bellocchi, a rede acontece duas vezes - a primeira começa às 13 horas e a segunda ocorre logo após o pronunciamento do presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, previsto para 20h30.A coligação Compromisso com São Paulo (PSDB/PFL/PPS/PTB) e a coligação PSDB/PFL obtiveram direito de resposta de um minuto em virtude de propaganda dos candidatos a deputado federal do PMDB, veiculada em bloco vespertino, na televisão, no dia 23 de setembro. Conforme a decisão "(...) a forma das expressões, insinuam, as representantes, como envolvidas no processo de escândalo que medra no território nacional (...)".O candidato José Serra e a coligação Compromisso com São Paulo (PSDB/PFL/PPS/PTB) também conseguiram um minuto de direito de resposta em virtude de propaganda veiculada pelo PSDC no bloco noturno do dia 20 de setembro. De acordo com o juiz, o trecho com as expressões mensalão, corrupção e sanguessugas ultrapassou os limites da crítica político-administrativa. RádioTambém foram concedidos 14 minutos de direito de resposta, em rádio, à coligação Compromisso com São Paulo (PSDB/PFL/PPS/PTB). Foi determinado um minuto de direito de resposta para cada inserção tida como ofensiva. Na representação contra o PMDB, a coligação obteve oito minutos em razão de inserções reservadas aos candidatos às eleições proporcionais, veiculadas no dia 21 de setembro, as quais continham a frase "o PSDB também é responsável pela corrupção".Em outra representação contra a Coligação PMDB/PP e o candidato Orestes Quércia, foram obtidos mais seis minutos por causa de inserções com a mesma frase, veiculadas em 22/9. O direito de resposta deverá ser veiculado em inserções, no mesmo horário em que foram veiculadas as ofensas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.