Juiz exige que as companhias aéreas informem atrasos

A Justiça Federal em São Paulo manteve ontem a liminar que obriga as empresas aéreas a informarem aos passageiros, com pelo menos 2 horas de antecedência, atrasos e cancelamento de voos. A decisão, segundo o juiz João Batista Gonçalves, vale para todos os aeroportos do País. A TAM e a Anac ainda tentaram revogar a medida, sem sucesso. A audiência de conciliação foi marcada para abril. O Diário Oficial da União ainda publicou ontem decreto assinado pelo presidente Lula aprovando a nova Política Nacional de Aviação Civil. Ele diz que têm de ser garantidos meios que propiciem o fornecimento de informações precisas sobre horários de voos e motivos de atrasos ou cancelamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.