Juiz exige que PF apresente relatório antes do 2º turno

A Justiça determinou nesta terça-feira à Polícia Federal (PF) que apresente até a próxima semana, ou seja, antes do segundo turno das eleições, relatório minucioso sobre as investigações acerca da origem do R$ 1,75 milhão que dirigentes do PT arrecadaram para tentar comprar o dossiê Vedoin.A ordem foi dada pelo juiz Jefferson Scheinneder, da 2ª Vara Federal de Cuiabá. A PF havia requerido ao juiz, na segunda-feira, mais 30 dias de prazo para prosseguir seu trabalho. Scheinneder consentiu, mas exigiu o relatório com detalhes sobre o dinheiro do PT.OtimismoDaniel Lorenz, delegado-chefe da PF em Mato Grosso, confirmou que o jogo do bicho pode ter sido a fonte de parte do dinheiro. Ele não disfarçou o otimismo que ainda não havia exibido desde que a PF se viu diante do mais intrincado desafio de sua história recente. Ele informou que equipes federais estão realizando "ações intensas" fora de Mato Grosso. Não revelou em qual Estado a apuração se concentra.Lorenz disse que houve um avanço no rastreamento da origem do dinheiro. "Houve basicamente a comprovação de uma tese", afirmou. Questionado se a tese à qual se referia aponta para a contravenção, foi categórico: "Não só isso, mas de várias teses. Estamos trabalhando com ações de inteligência."O chefe da PF disse que "fontes humanas" estão contribuindo com a investigação. O delegado destacou que informantes "dão indicações bastante precisas".Enigmático, declarou: "Quem trabalha bastante e intensamente muitas vezes é contemplado também por um pouquinho de sorte."Lorenz informou que ontem à tarde equipes policiais estavam promovendo "intensas ações de buscas", com mandado judicial, em outro Estado. "Estamos trabalhando muito para que a gente possa fechar uma parte da investigação, um viés no qual estamos trabalhando."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.