Juiz não aceita pedido de prisão para acusados de tortura

O juiz da 22ª Vara Criminal EduardoCrescente Abdalla indeferiu hoje o pedido de prisão preventiva formulado pelo Ministério Público contra o delegado de PolíciaAntônio de Assunção Olin, investigador Marcos de Franco, ambos da Divisão Anti-Sequestro, escrivão Carlos Alberto Uehara einvestigador Eder França, lotado no 66º DP . Eles foram acusados de haver torturados quatro pessoas para que confessassem crimes que não haviam cometido - o seqüestro de Paulo Nunes Batista. O juiz decretou segredo de justiça no processo. O Ministério Público ainda não foi intimado da decisão, mas poderá recorrer ao Tribunal de Justiça.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2004 | 19h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.