Juiz nega habeas corpus à mãe que matou filho de 2 anos

Pela segunda vez o Tribunal de Justiça negou hoje habeas corpus à balconista Diana Lima da Silva e manteve a sua prisão preventiva decretada pelo juiz do 2º Tribunal do Juri da capital. Diana está no Cadeião de Pinheiros desde o dia 27 de setembro do ano passado. É acusada de torturar e espancar até a morte seu filho caçula Robert Silva de Oliveira, dois 2 anos, em novembro de 2000 em sua residência no Parque Taipas. A criança desde o seu nascimento vinha sendo rejeitada pela mãe, que queria um filho do sexo feminino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.