Juiz nega indulto a Guilherme de Pádua

O juiz da Vara de Execuções Criminais de Belo Horizonte, Cássio de Souza Salomé, negou, no final da tarde desta quarta-feira, o pedido de indulto feito pela Defensoria Pública de Minas em favor do ex-ator Guilherme de Pádua, de 31 anos, condenado inicialmente a 19 anos de prisão pelo assassinato, no final de 1992, da atriz Daniella Perez, no Rio.Há duas semanas, o Conselho Penitenciário de Minas recomendara à Justiça a concessão do indulto, em parecer aprovado por oito votos a dois de seus integrantes.Na última sexta-feira, o promotor que cuida do caso, Marco Antônio Picone, remeteu ao juiz um parecer contrário ao indulto, alegando dois motivos, com os quais Salomé concordou em seu despacho.Segundo a promotoria, Guilherme foi beneficiado com a redução da pena para 14 anos, em 1999, quando já havia cumprido mais de seis anos em regime fechado.No ano passado, graças ao decreto presidencial 3226/99, o ex-ator ganhou direito à liberdade condicional e transferiu-se do Rio para Belo Horizonte, onde moram seus familiares.Com base no mesmo decreto, a Defensoria pedia agora a libertação definitiva do sentenciado. A justiticativa era que o documento determina indulto a condenados com mais de um terço das penas cumpridas, não reincidentes e com filhos menores de 12 anos para cuidar - caso do ex-ator.Para o promotor Picone e para o juiz Salomé, no entanto, além de não poder se valer duas vezes do mesmo decreto, Guilherme não conseguiu apresentar provas "inequívocas" de que mantivesse "relações socioafetivas" com a criança.O filho do ex-ator com Paula Thomaz, acusada de co-autoria do assassinato de Daniella Perez, vive no Rio de Janeiro, enquanto o pai mora em Belo Horizonte. Guilherme não foi encontrado, nesta quarta-feira, para comentar a decisão.A Defensoria informou, no entanto, que deverá recorrer da decisão, provavelmente ao Tribunal de Justiça de Minas. A notícia da sentença desfavorável saiu no dia seguinte à publicação da lista de aprovados de uma faculdade particular de Belo Horizonte, da qual constou o nome do ex-ator.Guilherme, que trabalha com informática na cidade e se apresenta a cada três meses à Justiça, passou no vestibular para Ciências da Computação da Fumec, localizada na Zona Sul, e deve iniciar o curso no ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.