Juiz nega liberdade a acusada de jogar bebê na lagoa

Foi negado o pedido de relaxamento de prisão de Simone Cassiano Silva, acusada de tentativa de homicídio qualificado contra a filha recém-nascida. Simone teria jogado a filha de 2 meses, dentro de um saco plástico, na Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, no último sábado. A decisão é do juiz Nelson Missias de Morais, do 1º Tribunal do Júri de BH. Simone foi presa no domingo. Os advogados alegaram que a prisão foi decretada fora do flagrante, conforme previsto no artigo 302 do Código de Processo Penal. Para a defesa, não houve perseguição que gerasse a presunção da autoria do crime. O juiz entendeu que não há prisão ilegal, pois "logo após a prática delituosa, a polícia iniciou as buscas, logrando êxito em efetuar a prisão da acusada em estado de flagrância, posto que não foram interrompidas ou cessadas as diligências neste sentido". Nelson Missias indeferiu também o pedido de liberdade provisória, pois considerou que, "em tese, o delito é equiparado a hediondo, sendo, portanto, insuscetível de liberdade provisória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.