Juiz ordena diligências para esclarecer o Caso Castelinho

O juiz Paolo Pellegrini Júnior da 1ª Vara Itu, concordou com a realização de uma série de diligências complementares, requeridas pelo Ministério Público que ofereceu denúncia contra 53 policiais militares acusados de matar 12 supostos membros do PCC - Primeiro Comando da Capital. Somente após a conclusão das diligências, o juiz decidirá se acolhe ou rejeita a denúncia apresentada pela promotora Vania Maria Tuglio. O morticínio ocorreu em 5 de março de 2002, na denominada ?Operação Castelinho?, quando policiais abriram fogo contra veículos nos quais viajavam as vítimas. A PM alega que as vítimas iam assaltar um avião pagador com R$ 28 milhões em Sorocaba. A promotoria entretanto sustenta que esse avião nunca existiu e que tudo não passa de uma farsa montada por ?policiais criminosos, torturadores e assassinos, com o propósito infantil de fazer uma demonstração de força?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.