Juiz pode beneficiar Gaviões e dar título à Mancha Verde

Isso vai dar o que falar. Os desfiles das escolas de samba de São Paulo começam no dia 24, sexta-feira. Mas antes disso, durante esta semana, a Mancha Verde, penúltima escola a desfilar no sábado, pode sagrar-se campeã do carnaval paulista. Parece loucura, mas não é. Para isso acontecer, basta que o juiz Luís Mário Galbetti, da 33º Vara Cível, faça a Liga das Escolas de Samba de São Paulo cumprir a decisão judicial em favor da Gaviões da Fiel, que garantiu à escola o direito de compor o Grupo Especial, junto das demais agremiações. Se isso acontecer, a Mancha Verde ficaria sozinha no Grupo de Escolas de Samba Esportivas e, assim, entraria no sambódromo já com a faixa de campeã. É isso, a corintiana Gaviões daria o título à palmeirense Mancha. "Quando saiu a sentença a favor da Gaviões, a Liga, de maneira ousada, entendeu que a escola desfilaria, mas não disputaria com as outras, desrespeitando uma sentença. Pedimos então ao juiz que apurasse até um eventual crime de desobediência por parte da Liga", explicou Gilberto Jabur, advogado da Gaviões. "Eu acredito serenamente que o juiz vai, em tempo hábil, garantir o cumprimento da ação, credenciando à Gaviões um direito já conquistado de concorrer ao carnaval pelo Grupo Especial", disse Jabur, que espera o despacho do juiz até a quarta-feira. A medida não se estenderia à Mancha porque a escola não entrou na justiça com os mesmo instrumentos jurídicos da Gaviões. Contudo, caso a Liga entenda que a Gaviões deve mesmo compor ao lado da Mancha o curioso Grupo das Escolas Esportivas, o desfile não será menos inusitado. O presidente da Liga, Alexandre Marcelino Ferreira, confirmou que as duas apurações viriam em seqüencia, que não haveria escola rebaixada no grupo das esportivas e não soube precisar sobre como seria o desfile das campeãs. E não descartou a hipótese da Mancha entrar campeã na avenida, caso a Gaviões retorne ao Grupo Especial. "É... por força de uma intervenção judicial, essa possibilidade existe", disse. Para o advogado da Gaviões, a presença da escola no Grupo das Escolas Esportivas é "uma incongruência jurídica absurda". Mais conformado, mas não menos indignado, o presidente da Mancha Verde, Paulo Serdan, lembrou que serão usados, no mesmo dia de desfile, "os mesmo jurados, critérios, não tem cabimento esse grupo". "Usam muito o argumento da violência entre as torcidas, mas o carnaval tem outro foco, não há clima pra isso. Os Gaviões ganharam quatro vezes o carnaval, são comprovadamente competentes, e a gente também tá chegando, com propriedade, é disso que eles têm medo", explicou Serdan, referindo-se aos presidentes das demais agremiações. Na mesma linha, Jabur relembra que não se tem notícia de violência no carnaval envolvendo as escolas-torcida. "As outras escolas querem purificar, sabemos que esse movimento vem de lá", disse. Agora, é esperar para ver qual será o desfecho deste confuso enredo.

Agencia Estado,

17 Fevereiro 2006 | 23h22

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.