Juiz quer assassinos de ex-diretor de Bangu 3 de volta ao RJ

Magistrado alega que criminosos estão em presídio de Campo Grande "em caráter emergencial" há um ano

João Naves de Oliveira, de O Estado de S. Paulo,

31 Julho 2009 | 16h38

O juiz da 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, Dalton Igor Kita Conrado, determinou nesta sexta-feira, 31, a transferência dos acusados pelo assassinato do tenente-coronel José Roberto Lourenço, ex-diretor do Presídio Bangu 3, para o Rio de Janeiro.

 

O juiz alegou que Adair Marlon Duarte, o Aldair da Mangueira, e Ronaldo Pinta Lima da Silva, o Ronaldinho Tabajara, que cumprem pena no Presídio Federal de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, deste outubro de 2008, estão no presídio "em caráter emergencial" há quase um ano e devem retornar ao Rio de Janeiro.

 

O Departamento Penitenciário Nacional e Vara de Execuções Penais, entretanto, afirmam que não aceitarão os presos de volta.

 

O ex-diretor morreu na Avenida Brasil da capital fluminense depois de ter o carro em que estava perfurado por 60 tiros, em outubro do ano passado. O despacho do juiz sul-mato-grossense é do último dia 29.

Mais conteúdo sobre:
crime presídio Bangu 3

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.