Juiz suspende visitas e familiares de presos protestam em AL

Familiares foram surpreendidos pela decisão e protestaram, forçando a entrada no local e atirando pedras; após tentativa de fuga, visitas foram suspensas por dez dias;

Fabiana Marchezi, estadão.com.br

30 Setembro 2010 | 16h27

SÃO PAULO - Após uma tentativa frustrada de fuga na quarta-feira, 29, as visitas de familiares aos detentos do Presídio Baldomero Cavalcanti estão suspensas por dez dias, a partir desta quinta-feira, 30, conforme decisão do juiz de Execuções Penais, George Omena.

 

Com isso, nesta manhã, familiares que foram surpreendidos pela suspensão das visitas fizeram um protesto e tentaram forçar a entrada no local, atirando pedras contra os agentes e tentando derrubar o portão que dá acesso ao presídio. Os agentes chegaram a usar gás de pimenta para conter os familiares. A confusão durou cerca de 4 horas e ninguém se feriu.

 

De acordo com a Intendência Geral do Sistema Penitenciário do Estado, as visitas foram canceladas depois que quatro detentos tentaram fugir na quarta-feira, 29. Os presos serraram as grades da cela de um dos módulos e chegaram até a área externa do presídio, mas foram detidos pelos agentes penitenciários. Durante a tentativa de pular o muro, os presos dispararam contra os agentes, o que levantou a suspeita de que haveria arma de fogo em posse dos reeducandos.

 

Na manhã desta quinta, em uma nova revista, uma pistola 380 foi encontrada em uma das celas do presídio. Diante da possibilidade de haver novas armas no local, as revistas vão continuar a ser realizadas. Um procedimento administrativo será instaurado para apurar de que forma a arma de fogo encontrada entrou na penitenciária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.