Juíza acusada de ligação com traficante volta a trabalhar na BA

TJ acredita que, apesar das acusações serem graves, juíza pode exercer a função durante as investigações

Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

07 de fevereiro de 2008 | 22h04

Acusada de ligações com o narcotraficante colombiano Gustavo Durán Bautista - flagrado em agosto de 2007 com meia tonelada de cocaína, no Uruguai -, a juíza Olga Regina Santiago Guimarães assume, na segunda-feira, 10, a 2.ª Vara de Acidentes de Veículos de Salvador (BA). A nomeação foi publicada na edição desta quinta-feira, 7, do Diário Oficial do Poder Judiciário.  A magistrada havia sido transferida de Cruz das Almas (BA), onde trabalhava, para a capital baiana em setembro, para assumir a 47.ª Vara de Substituições de Salvador, mas tirou licença das atividades e não chegou a atuar na cidade.  Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça flagraram Olga e seu marido, Baldoíno Santana, em conversas e negociações com o traficante, em 2007. Bautista já havia sido preso, em 2001, em Juazeiro (BA), acusado de narcotráfico. À época, Olga, juíza do município, libertou o traficante, alegando falta de provas. Segundo o Tribunal de Justiça do Estado, apesar de as acusações serem graves, a juíza pode exercer a função enquanto as investigações prosseguem. O Ministério Público já tem os dados relativos à quebra dos sigilos bancário e telefônico da juíza, que estão sendo estudados.

Tudo o que sabemos sobre:
tráfico de drogasJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.