Juíza dá prazo de 45 dias para fechar Febem Imigrantes

A juíza Mônica Ribeiro de Souza Paukoski,diretora do Departamento de Execuções da Infância e da Juventudede São Paulo, determinou prazo de 45 dias para o fechamento daunidade da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem) deParelheiros, na zona sul.Em sentença dada nesta semana, sobre ação de 2001, a juízatambém proíbe o diretor da unidade, José Nicanor Gonçalves, e oex-diretor Kiyokazu Takahashi de exercerem cargos de direção.É a segunda vez neste ano que a Justiça determina o fechamentoda Febem de Parelheiros. Os motivos são denúncias de torturas efalta de condições para abrigar os adolescentes. Asirregularidades foram apuradas em visitas de inspeção de juízese promotores, que ouviram os internos.A fundação já avisou que vai desativar a unidade deParelheiros até 15 de julho e vem preparando o processo há cincomeses, por entender que o local não é adequado a um modelo queprevê estruturas de capacidade para até 72 vagas ante 320 nazona sul.A assessoria de imprensa do órgão se recusou a dizer quantosinternos ainda estão na unidade, "por questão de segurança". A Febem ressaltou ainda que "não pactua com nenhuma práticade violência nas suas unidades".Gonçalves, segundo aassessoria, está de licença médica, e Takahashi atua hoje comoassistente de segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.