Juíza esfaqueada no Timor Leste antecipa retorno ao Brasil

A juíza brasileira Sandra Silvestre, que foi esfaqueada nos dois braços em um assalto no Timor Leste, vai antecipar seu retorno ao Brasil para se submeter a intervenção cirúrgica, segundo informou seu irmão, Carlos Alberto Silvestre. Sandra Silvestre foi enviada ao Timor Leste como observadora da ONU para acompanhar o processo eleitoral no país. Ela foi assaltada e esfaqueada na capital do país, Dili, no último sábado, 7, mas passa bem. De acordo com o irmão da juíza, ela ?terá que fazer uma cirurgia em função dos ferimentos que sofreu. Ela queria continuar no Timor até o dia 12 de abril, período em que os observadores da ONU ficam no país, mas se convenceu de que deve estar junto de seus familiares para se submeter ao procedimento cirúrgico?. Ainda segundo ele, a juíza deve deixar Dili nesta quarta-feira, 11. Sandra Silvestre está autorizada pelo Tribunal de Justiça de Rondônia a ficar fora do país até o dia 18 de abril, de acordo com ato do Presidente em exercício do tribunal, Desembargador Moreira Chagas. Em Dili, a juíza rondoniense foi atendida em uma clínica local por médicos portugueses e se recupera na residência do embaixador brasileiro, Antônio de Souza e Silva.

Agencia Estado,

10 Abril 2007 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.