Juíza ouve outra vez seis acusados de aliciamento de menores e participação em orgias

Seis acusados de participação no caso de aliciamento de adolescentes e orgias em festas em ranchos e chácaras de Porto Ferreira, na região de Ribeirão Preto, prestaram novo depoimento à juíza Sueli Juarez Alonso, hoje. O primeiro deles foi o garçom Walter Mafra, citado como o agenciador das garotas e único que está detido em Hortolândia - outros nove envolvidos estão presos na Cadeia de Descalvado. Ele foi ouvido pela manhã, os demais à tarde. Segundo o promotor Cássio Roberto Conserino, a juíza fez novos interrogatórios para suplementar ou retificar informações após os depoimentos das vítimas. Além de Mafra, que poderia esclarecer dados importantes sobre os acusados, os outros ouvidos pela juíza foram os vereadores Luiz Gonzaga Mantovani Borceda (PSDB), e Luís César Lanzoni (PTB), presidente da Câmara, além dos empresários Nélson da Silva, Paulo César da Silva e Luiz Dozzi Tezza. O empresário Tezza foi o último detido, na sexta-feira (26), após o pedido de reconsideração de prisão preventiva solicitado por Conserino à juíza, que, enfim, concedeu o mandato. Tezza havia sido um dos 16 mencionados pelo promotor no pedido inicial de prisão preventiva, mas a juíza determinou a prisão de 12 dos citados - apenas um, José Carlos Terassi, está foragido desde agosto, enquanto o vereador Gerson João Pellegrini (PV) e o empresário Carlos Alberto Rossi já foram libertados. Dependendo dos depoimentos de hoje, outros acusadospodem ser libertados, como o empresário João Batista Pelegrini, que foi ouvido ontem pela juíza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.