Julgamento de Suzane von Richthofen é adiado

O julgamento de Suzane von Richthofen foi adiado, a exemplo do que ocorreu com o dos irmãos Daniel e Christian Cravinhos. Os advogados de Suzane deixaram o Fórum da Barra Funda depois de o juiz Alberto Ânderson Filho ter recusado o pedido da defesa de marcar uma nova data para o júri.O início do julgamento de Suzane e dos irmãos Cravinhos, réus confessos do assassinato dos pais dela, Manfred e Marísia von Richthofen, em 2002, estava marcado para as 13 horas. Mas, os advogados dos Cravinhos, Geraldo e Gislaine Jabur, não se apresentaram e o julgamento dos irmãos foi adiado. Com isso, esperava-se que julgamento Suzane acontecesse separadamente.O juiz Alberto Anderson Filho vai decidir quando será o julgamento e se Suzane voltará para a prisão, pois a liminar concedida pelo STJ para que ela esperasse o júri em prisão domiciliar venceu hoje.Lado a ladoAntes da saída dos irmãos Cravinhos do plenário, eles e Suzane ficaram sentados lado a lado no banco dos réus no Fórum da Barra Funda. Na ordem, da esquerda para a direita, estavam Cristian, Daniel e Suzane.Os irmãos estavam trajando os uniformes do presídio: um moletom branco e calça amarela, enquanto Suzane usava jeans e blusa na cor bege. Em nenhum momento, Suzane olhou em direção ao ex-namorado, Daniel.ChegadaSuzane chegou ao fórum por volta das 11h30. A jovem chegou numa Blazer da Polícia, sentada no banco de trás entre seu tutor, o advogado Denivaldo Barni, e uma mulher. Suzane tinha o rosto coberto com um pano bege. Os pais dos irmãos Cravinhos, Astrogildo e Nadja, chegaram por volta das 11h45 e não falaram à imprensa, apesar do assédio. Pela manhã, Astrogildo havia declarado que não acredita que os filhos escapem da condenação.Daniel e Cristian foram levados do Centro de Detenção Provisória I de Pinheiros, onde estavam desde quinta-feira, 1º, quando foram transferidos da Penitenciária de Itirapina, ao fórum pela manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.