André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Jungmann diz que 'no máximo três Estados' pediram Forças Armadas

Ministro afirmou ainda que 'não foi falado em intervenção' na reunião com governadores realizada nesta quinta-feira

Carla Araújo, Igor Gadelha, Renan Truffi e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

01 Março 2018 | 16h39

BRASÍLIA - O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou, que na reunião com governadores realizada nesta quinta-feira, 1º, "não foi falado em intervenção" em outros Estados, mas que alguns entes pediram reforço das Forças Armadas na segurança. "Não foi falado em intervenção. Foi pedido presença de Forças Armadas e eu me opus fortemente lembrando que segurança se resolve com a Segurança e não com a Defesa", afirmou o ministro.

+++ Eunício apresenta a Jungmann sistema integrado de Segurança; recursos já estão disponíveis

Jungmann não quis dizer quais Estados solicitaram o uso das Forças Armadas "para não ser injusto", mas que foram "no máximo três". 

+++ PF mantém prioridade da Lava Jato, diz ministro da Segurança

O ministro afirmou ainda que houve "unanimidade" dos governadores no apoio à criação do Ministério da Segurança Pública. 

+++ Jungmann defende monitoramento de conversa entre advogados e presos

Jungmann disse ainda que o principal anúncio da reunião foi a oferta da linha de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ele, no entanto, não quis comentar sobre o fato de muitos governadores não terem ficado satisfeitos com a linha de crédito. 

Segundo uma fonte do Planalto que participou da reunião, alguns governadores reiteraram que o governo precisava investir e não emprestar, mas o presidente Michel Temer (MDB) lembrou que a União está fazendo a sua parte e que ainda continua sendo um dever constitucional dos Estados o cuidado com a segurança pública. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.