Jungmann diz que presidente da CPI obstrui investigação

O vice-presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), voltou a acusar a presidência da CPI de obstruir as investigações. Segundo ele, o Congresso Nacional está sendo desrespeitado nos trabalhos da CPI. "As informações chaves para essas investigações estão sendo sonegadas, estão sendo subtraídas", afirmou Jungmann, referindo-se às informações parciais sobre o dossiê Vedoin, enviadas nesta terça-feira pelo juiz de Cuiabá Jefferson Schneider ao presidente da CPI, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ).Para o deputado, a CPI, como órgão do Congresso Nacional, de atribuições constitucionais, está tendo o seu poder de investigação obstruído. Ele encaminhou um requerimento a Biscaia pedindo que sejam disponibilizados ao relator, sub-relatores, vice-presidente e respectivos assessores os documentos produzidos ou recebidos de outros órgãos, entidades e autarquias.No pedido, Jungmann alega que o prazo exíguo de trabalho e excessiva carga de informações torna necessária a descentralização da análise dos documentos "hoje concentrada nas mãos de poucos parlamentares".Sobre o convite aos ex-ministros da Saúde para comparecerem à CPI, Jungmann disse que tem como certo que todos atenderão. Mas, caso isso não ocorra, Jungmann anunciou que vai convocá-los e acredita que terá o apoio de outros colegas da oposição."Para um ex-ministro um convite equivale a uma convocação. Mesmo quem estiver na vida privada não pode recusar um convite do Congresso Nacional, porque isso seria politicamente desastroso, já que não se entende a posição de um cidadão em recusar a chance de apresentar a sua versão a uma CPI, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.