Jungmann pede investigação de crime eleitoral de milícias

Deputado diz ter denúncia de que traficantes estariam pressionando moradores a votar em seus candidatos

Agência Brasil

24 de julho de 2008 | 15h25

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) pediu nesta quinta-feira, 24, à Polícia Federal que investigue a ação das milícias e de traficantes de pressionar moradores de comunidades cariocas a votar, nas eleições municipais de outubro, em candidatos apoiados por eles.   Veja também: Suspeito de comandar milícia é transferido para Bangu 8 Natalino Guimarães acusa polícia de 'plantar' armas em sua casa Deputado suspeito de ligação com milícias é preso no Rio Grupo faz 'panelaço' contra prisão de deputado no Rio Deputados do Rio discutem nesta quarta prisão de Guimarães   O deputado recebeu denúncias de que esses grupos estariam ameaçando de morte pessoas do Complexo do Alemão e do Morro da Rocinha, que se recusassem a votar nos candidatos determinados por eles.   Segundo o deputado, isso é crime eleitoral e este tipo de matéria é de atribuição federal. "Crime eleitoral é Justiça Federal e é também Polícia Federal. A Justiça Eleitoral tem poder para colocar a Polícia Federal e até o próprio Exército (no caso), pois onde tem votação tem a ocorrência da intervenção da Justiça Eleitoral, cuidando da lisura de todas as votações", afirmou.   Ele também sugeriu que a Polícia Federal e as polícias do Rio de Janeiro, que já investigam a atuação das milícias e do tráfico de drogas, trabalhem juntas. "Cada um na sua esfera, na sua atribuição, deveriam atuar juntas", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
milíciaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.