Júri absolve casal acusado de mandar matar o neto

O casal José Bueno dos Santos, de 61 anos, e AnaMaria Bueno, de 71, acusados de encomendar a morte do neto Márcio Aparecido Bueno em março do ano passado, foram absolvidos hoje pelo Tribunal do Júri, em Boituva, a 115 quilômetros de São Paulo. Cinco dos sete jurados acataram o argumento da defesa de que os acusados não tiveram participação no crime. A decisão foi anunciada no início da madrugada pelajuíza Ana Cristina Paz Néri, que presidiu o júri. O promotor Washington Luis Rodrigues Alves, que atuou na acusação, vai pedir um novo julgamento. Segundo ele, a decisão dos jurados contrariou a prova juntada no processo. O júri havia condenado, no dia anterior, a 12 anos de prisão os autores do assassinato, os irmãos Adão e Darci Vieira da Cruz. Outro irmão, João Batista Vieira da Cruz, também acusado do crime, foi absolvido. Os jurados entenderam que, embora João Batista estivesse presente no momento do crime, não teriaparticipado das agressões que resultaram na morte da vítima. Márcio foi morto a facadas, pedradas e golpes de barra de ferro. Ele tinha sido atraído pelos irmãos Cruz a pretexto de experimentar um carro. Presos no momento em que fugiam do local, ainda com as roupas sujas de sangue, os acusados apontaramos avós de Márcio como mandantes do crime. Eles receberiam R$ 1 mil e uma motoneta como pagamento. O casal também foi preso. O avô, José Bueno, alegou na ocasião que mandara matar o neto porque não se conformava em vê-lo agredindo a avó, de quem exigia dinheiro para a compra de bebidas edrogas. Márcio não trabalhava e passou a morar com os avós depois de se desentender com a mãe. Durante o processo, Bueno mudou sua versão, dizendo-se inocente do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.