Júri condena acusado de matar sem-terra no PR

ESPECIAL PARA O ESTADO / CURITIBA

Julio Cesar Lima, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2011 | 00h00

Em julgamento de cerca de seis horas, o Tribunal do Júri condenou ontem a 15 anos de prisão em regime fechado Jair Fermino Borracha, acusado de matar o trabalhador rural Eduardo Anghinoni há 13 anos, em Querência do Norte. A defesa deverá recorrer da sentença.

O alvo do atentado seria Celso Anghinoni, um dos líderes do Movimento dos Sem-Terra (MST) na região - seu irmão Eduardo teria sido morto por engano. Exame de balística na arma encontrada com Fermino comprovou que foi a utilizada para os disparos. Nas últimas semanas, líderes do MST reclamaram de intimidações sofridas por parte de pessoas ligadas ao acusado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.