Júri condena mulher a 19 anos por incêndio de ônibus

Sheila Messias Nogueira foi condenada nesta segunda-feira a 19 anos e nove meses de prisão em julgamento sobre o incêndio do ônibus 350, ocorrido em Brás de Pina, zona norte fluminense, em novembro de 2005. Sheila foi reconhecida por duas testemunhas de acusação como a mulher que fez sinal para o coletivo parar.Segundo as testemunhas, ela também teria impedido os passageiros de sair do ônibus. Cinco pessoas, entre elas um bebê, morreram no incêndio. Dezesseis passageiros ficaram feridos. Sheila foi acusada pelo Ministério Público pelos cinco homicídios e 16 tentativas de homicídio.O julgamento de Sheila, o terceiro relacionado ao caso, começou às 11h30, com duas horas e meia de atraso, no 2.º Tribunal do Júri da Capital, e só terminou após as 23h. Comparada aos demais acusados, Sheila recebeu uma pena leve. No mês passado, o traficante Anderson Gonçalves dos Santos, o Lorde, e o líder comunitário Alberto Maia da Silva foram condenados, respectivamente, a 444 anos e seis meses e a 309 anos e cinco meses de reclusão pelo mesmo crime. Lorde foi acusado de ser o mandante do crime e Silva de ter comprado a gasolina usada pelos bandidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.