Júri condena último acusado no caso Dorothy

O quinto e último acusado pelo assassinato da missionária Dorothy Stang, ocorrido em Anapu (PA) em 2005, foi condenado na madrugada de ontem a 30 anos de prisão. O fazendeiro Regivaldo Galvão terá de cumprir pena em regime fechado. Familiares da vítima e militantes de direitos humanos comemoraram.

Carlos Mendes, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2010 | 00h00

Os jurados entenderam que o fazendeiro agiu para satisfazer a sua "cobiça e ambição pessoal". Ele foi levado para um presídio na região metropolitana de Belém. O seu advogado, Jânio Siqueira, anunciou vai recorrer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.