Justiça acaba com a mordomia de 11 presos em penitenciária de Maceió

Dois deles são Adalberon de Moraes, ex-prefeito de Satuba, e o ex-tenente-coronel Manoel Cavalcante

estadão.com.br,

21 Outubro 2011 | 03h28

SÃO PAULO - A mordomia de 11 presos, sem curso superior, uns condenados outros não, que ocupavam, sem direito, "celas" mais do que especiais, terminou na Penitenciária Masculina Baldomero Cavalcante de Oliveira, no bairro de Tabuleiro do Martins, em Maceió(AL). O juiz da Vara de Execuções Penais da Capital, José Braga Neto, decidiu acabar com este tipo de cela no complexo prisional.

 

Além ficarem confortavelmente em uma cama de solteiro e desfrutarem de televisão, geladeira, rádio, entre outros aparelhos e utensílios domésticos, os detentos tinham as chaves das celas, cujas portas são feitas de madeira, diferentemente das demais. Entre os onze presos que terão de ser transferidos, estavam o ex-prefeito de Satuba, Adalberon de Moraes, e o ex-tenente-coronel Manoel Francisco Cavalcante. Ambos sem diploma de curso superior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.