Justiça aceita denúncia contra donos de parque onde morreram dois no RJ

Acidente com brinquedo ocorreu em agosto no parque Glória Center e deixou mais 10 feridos

Prisicila Trindade , estadão.com.br

22 Setembro 2011 | 16h45

SÃO PAULO - A 4ª Vara Criminal do Rio, recebeu nesta quarta-feira, 21, a denúncia contra três acusados de serem os responsáveis pelo acidente com o brinquedo "Tufão", no parque de diversões Glória Center, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da cidade.

Duas pessoas morreram e outras dez tiveram ferimentos, quando parte do brinquedo se soltou na madrugada do último dia 14 de agosto. O parque de diversões estava instalado na Estrada dos Bandeirantes, em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio.

Leandro Ribeiro, Maria da Glória Pinto e Luiz Soares Santiago vão responder pelos crimes de duplo homicídio qualificado por motivo torpe e lesão corporal, por dez vezes.

Além disso, Leandro e Maria da Glória, responsáveis pelo estabelecimento, estão proibidos de explorar qualquer atividade no ramo de diversões públicas. Já o engenheiro Luis está impedido de expedir qualquer tipo de laudo.

Para a juíza Angélica dos Santos Costa, o crime é tratado como crime hediondo e, como tal, deve merecer uma reprimenda maior dos poderes constituídos. "As condutas dos réus expuseram a risco um sem-número de pessoas, principalmente crianças, já que a atividade era desenvolvida tendo-as como principal público-alvo. A gana pelo lucro fácil, ao menos em tese, foi o que levou as pessoas denunciadas a agir da forma como narrado na denúncia e a não manter a devida manutenção das instalações e brinquedos que eram utilizados pelo público, conforme o laudo pericial."

Os réus deverão ainda comparecer em juízo, mensalmente para justificar suas atividades, e terão que manter uma distância mínima de 100 metros do local onde o acidente aconteceu. Segundo o TJ-RJ, eles não poderão se ausentar da cidade por mais de oito dias sem autorização da Justiça e nem mudar de endereço sem comunicar à Vara Criminal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.