Justiça apura fraude eleitoral em Cajamar

A descoberta de pelo menos 14 eleitores que votaram com títulos cancelados em três de outubro de 2000, e a suspeita de que os votos de 17 pessoas mortas também apareceram nas urnas, pode mudar o resultado das eleições no município de Cajamar, 36 quilômetros de São Paulo.Apenas os 14 votos comprovadamente fraudados seriam suficientes para impugnar o processo eleitoral. O prefeito reeleito Antônio Carlos Oliveira Ribas de Andrade (PTB), o Toninho Ribas, venceu com 13 votos de vantagem o segundo colocado, Messias Cândido da Silva (PPS). Ribas teve 11.583 votos e Silva, 11.570. A fraude foi descoberta por Silva e denunciada à Justiça Eleitoral. O Ministério Público de Cajamar também foi acionado. O juiz Rodrigo Gorga Campos aceitou a denúncia. O processo, com pedido de cancelamento das eleições, corre, sob o número 17.265, no Tribunal Regional Eleitoral, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.