Justiça autoriza adoção por casal homossexual masculino

A Justiça de Catanduva, no interior de São Paulo, autorizou na terça-feira um casal de homossexuais a adotar oficialmente uma criança de cinco anos. Este é o terceiro caso registrado deste tipo no País.Os pais adotivos, Vasco Pedro da Gama e Dorival Pereira Júnior, comemoram a adoção de Teodora, de apenas 5 anos. ?Depois que chega uma criança pra gente, um filho, muda nossa vida?, disse Vasco Pedro da Gama, pai adotivo. Para o casal, este é o final feliz de uma história que começou há 8 anos, quando a Justiça negou o pedido de entrada de um deles na lista de espera para a adoção. Contudo, em 2004 , Vasco conquistou o direito de entrar na fila. No final de 2005, o casal teve autorização para passar o Natal e o Ano Novo com a menina, que vivia em um abrigo de Catanduva. Os laços entre eles se tornaram tão fortes que a Justiça concedeu a guarda provisória e depois definitiva. Inicialmente, a menina foi registrada apenas por Vasco. Júnior entrou na Justiça e teve também a paternidade reconhecida. A juíza de Catanduva que autorizou o registro em nome dos dois considerou que eles vivem uma união estável há 14 anos e têm condições psicológicas e financeiras de garantir o bem estar da criança. O caso foi o primeiro em São Paulo no qual a Justiça concede, de fato, o direito de um casal de homossexuais a adotar e registrar uma criança como filha legítima. Foi o terceiro no País. Dois casais de mulheres tinham conquistado o mesmo direito no Bagé (RS) e no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.