Justiça autoriza busca por corpo de Eliza em casa em MG

Polícia chegou até imóvel na cidade de Vespasiano após receber informações do primo do goleiro Bruno, de 17 anos

Priscila Trindade, do estadão.com.br

07 de julho de 2010 | 15h32

SÃO PAULO - A Justiça de Minas Gerais emitiu na tarde desta quarta-feira, 7, um mandado de busca para a casa onde estaria o corpo de Eliza Samudio, de 25 anos, em Vespasiano, na região Metropolitana de Belo Horizonte. Somente após a emissão desse documento, os policiais puderam entrar na residência localizada no bairro Santa Clara, por volta das 15h20.

 

Veja também:  

linkBruno deixou residência antes de ter prisão decretada, diz polícia

linkJustiça decreta prisão de Bruno; polícia tenta prender o goleiro no Rio

linkAdolescente diz que Eliza Samudio está morta

linkSegundo menor apreendido, Eliza morreu por estrangulamento

 

Foi preciso retirar vários cães da rottweiler na entrada para que os policiais pudessem entrar no imóvel. Eliza manteve um relacionamento extraconjugal com o goleiro Bruno, do Flamengo. Ela tentava provar na Justiça que Bruno é pai de seu filho de quatro meses. A jovem desapareceu no início de junho e o atleta é suspeito de envolvimento no sumiço de Eliza.

 

A polícia chegou até o imóvel após receber informações de um jovem de 17 anos, primo de Bruno, que foi detido na terça-feira, 6, na casa do atleta no Recreio dos Bandeirantes, no Rio. O garoto confessou ter participado do sequestro de Eliza na noite do dia 4 de junho, na saída de um hotel na Barra da Tijuca. Hoje cedo, a Justiça do Rio decretou a prisão temporária do goleiro. Até às 15 horas, o atleta não havia sido localizado pela polícia.

 

RIO

 

Vários carros da Delegacia de Homicídios do Rio e de Minas Gerais saíram há pouco em alta velocidade da sede da unidade carioca, na Barra da Tijuca (zona oeste), para cumprir dois mandados de busca e apreensão no Recreio dos Bandeirantes (também na zona oeste), bairro onde mora Bruno. De acordo com os agentes, as diligências estão relacionadas à investigação do assassinato de Eliza. Os policiais não deram detalhes sobre os alvos das operações.

 

Com informações de Pedro Dantas, da Sucursal do Rio

 

Texto atualizado às 16h34.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.