Justiça autoriza DNA em caso de bebê que teria irmão gêmeo

A realização de teste de DNA para saber se o bebê Gabriel é filho do estudante Rodrigo Triano e de Andressa Sales, foi autorizada ontem pela Justiça após pedido do Ministério Público. A ideia é afastar a hipótese de troca de bebês. Exames apontavam que Andressa esperava gêmeos mas, após dar à luz em 27 de fevereiro no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, recebeu apenas Gabriel. A Secretaria Estadual de Saúde, responsável pelo hospital, diz que ela deu à luz apenas uma criança e não houve troca. O prontuário foi entregue à Justiça, segundo a secretaria. Os exames serão apurados pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo, que deve abrir sindicância. A família quer saber o que aconteceu ao segundo bebê. "Se soubesse que está morto, ao menos teria o direito de fazer o enterro", disse o pai, que já registrou Gabriel como filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.