Justiça concede habeas corpus a Adriana Villela

Arquiteta é acusada de envolvimento na morte do pai, o ex-ministro José Guilherme Villela, e mãe

Solange Spigliatti, Central de Notícias

28 de janeiro de 2011 | 15h00

SÃO PAULO - A arquiteta Adriana Villela, acusada de envolvimento na morte de seus pais, em agosto de 2009, conseguiu habeas corpus nesta sexta-feira, 28. Ela foi presa em Ipanema, no Rio, na manhã de quinta.

 

A defesa da suspeita entrou com o pedido de habeas corpus na Justiça por volta da meia-noite de ontem, e hoje, às 11h45, o desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, George Lopes Leite, concedeu o direito de responder ao processo em liberdade.

 

Adriana é acusada de envolvimento na morte do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Guilherme Villela, e Maria Carvalho Mendes Villela, mãe da arquiteta, além da empregada da família, Francisca Nascimento da Silva, em agosto de 2009.

 

Eles foram assassinados com 73 facadas no apartamento onde moravam, situado numa quadra nobre de Brasília.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.