Justiça condena assassino de La Costa a 32 anos de prisão

A Justiça condenou a 32 anos de prisão um dos acusados de matar o fotógrafo Luis Antonio da Costa, o La Costa, no dia 23 de julho do ano passado. A decisão foi tomada em março pela 4.ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, mas só agora se tornou pública porque o processo é sigiloso. A sentença atingiu Renato dos Santos Lira, de 24 anos, o Bahia, que confessou ter sido o autor do tiro que matou La Costa. Além dele, também está sendo processado Alexandre Aparecido Silvério, o Nego Shell, que foi denunciado pelo Ministério Público Estadual como co-autor da tentativa de roubo seguida de morte. Eles estavam em companhia do adolescente R.A.N., de 17 anos, quando roubaram um posto de gasolina na frente de um terreno da Volkswagen que havia sido invadido por sem-teto. A trabalho, La Costa estava na entrada do acampamento quando os ladrões passaram. Bahia disse à Agência Estado que, depois do roubo no posto, ele e o amigo haviam decidido fazer um arrastão e levar as câmeras fotográficas dos jornalistas que estavam no local pois temiam que alguém os tivesse "filmado". Ele alegou que apanhou o equipamento do fotógrafo, mas a vítima ficou olhando e não soltou. "Eu puxei a arma para intimidá-lo e ela disparou pois estava engatilhada." Foi uma série de imagens feitas por outro fotógrafo que permitiu à polícia identificar os criminosos e prendê-los. Tanto Bahia quanto Nego Shell reagiram à prisão e foram baleados. O processo de Nego Shell foi desmembrado e está sendo feito à parte do que levou à condenação de Bahia. Seu processo ainda está na fase de instrução, o que inclui o depoimentos de testemunhas. R.A.N. não foi acusado do delito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.