Justiça condena doleiro de Londrina a 7 anos de prisão

A Justiça Federal condenou o doleiro de Londrina Alberto Youssef, tido como um dos maiores responsáveis por envio ilegal de dinheiro para o exterior, a uma pena de sete anos de prisão, em regime semi-aberto. A pena foi dada pelo juiz Sérgio Moro, da Vara Federal de Curitiba especializada em lavagem de dinheiro. Segundo nota distribuída pela Justiça Federal , a condenação do doleiro não está diretamente relacionada às operações no Banestado. Ela se deve a crime de sonegação fiscal, apurado pela Receita Federal em Londrina. O regime semi-aberto prevê que o réu apenas passe a noite na prisão. Youssef já se apresentou espontaneamente à Justiça para cumprir a pena em Curitiba. Além dos sete anos em regime semi-aberto, o doleiro também foi condenado a pagar 9.568 salários mínimos (R$ 2.487.680) em multa. Youssef é acusado de ter mandado para fora do país, por intermédio das casas de câmbio em seu nome e no de parentes que operavam em Londrina e em São Paulo, parte dos US$ 30 bilhões que a Polícia Federal estima ter passado pela agência do Banestado de Nova York, entre 1996 e 1998. As informações são da Agência Brasil.

Agencia Estado,

25 de junho de 2004 | 11h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.