Justiça condena Maluf, que terá foro privilegiado em 2007

Paulo Maluf (PP), eleito deputado federal com o maior número de votos na eleição deste ano, foi condenado na última quarta-feirapor improbidade administrativa pela 12ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, segundo informação do site Consultor Jurídico. A punição para esse tipo de crime é a suspensão dos seus direitos políticos por 10 anos. Como a decisão é de primeira instância, Maluf poderá tomar posse como deputado federal.Patrícia Rios, uma das advogadas de defesa de Maluf, disse que vai recorrer da decisão e deixa claro que ?os direitos políticos de Maluf estão íntegros?. Depois que assumir o cargo, Maluf terá a prerrogativa de foro privilegiado. O Supremo Tribunal Federal (STF) ainda discute se nos casos de improbidade administrativa cabe foro privilegiado.A ação foi proposta há dez anos pela Promotoria de Justiça da Cidadania de São Paulo, de acordo com o site. À época, Maluf era prefeito da cidade de São Paulo e foi acusado de usar a máquina pública para promoção pessoal. De acordo com a denúncia, ele usou recursos do município para se promover através de campanhas publicitárias que tinham como marca registrada um trevo vermelho. O símbolo era usado nas campanhas eleitorais de Maluf.ErundinaA deputada federal Luiza Erundina (PSB-SP), que disputou a prefeitura com Maluf em 1988 e venceu, prevê que o seu antigo adversário não deverá comparecer às sessões da Câmara dos Deputados. "Maluf só quer foro privilegiado, imunidade parlamentar, uma forma de tentar escapar das irregularidades em que está envolvido". Erundina diz ainda que Maluf não deverá comparecer às sessões da Câmara dos Deputados."Ele não deve gostar do parlamento, da outra vez em que foi eleito, quase foi cassado por não aparecer na Câmara", declarou nesta quinta-feira em Recife.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.