WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Justiça confirma indenização de R$ 3,9 milhões à família de Amarildo

Estado do Rio ainda pode recorrer; pedreiro desapareceu na favela da Rocinha após uma abordagem policial

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

28 Agosto 2018 | 22h10

RIO - A Justiça do Rio confirmou, em segunda instância, a indenização de R$ 3,9 milhões à família do pedreiro Amarildo Dias de Souza, que desapareceu na favela da Rocinha, na zona sul, onde morava, em 14 de julho de 2013, após uma abordagem policial. Em 2016 a Justiça condenou 13 policiais militares por envolvimento na morte de Amarildo. Eles foram acusados de tortura seguida de morte, ocultação de cadáver e fraude processual.

Também em 2016, a Justiça determinou que o governo do Estado do Rio pagasse R$ 500 mil à viúva de Amarildo, Elisabete da Silva, e o mesmo valor a cada um de seus seis filhos, além de R$ 100 mil a cada um dos quatro irmãos do pedreiro. 

O governo do Rio recorreu, tentando reduzir o valor da indenização, e o caso foi julgado nesta terça-feira pela 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. Os desembargadores mantiveram os valores, mas o Estado do Rio ainda pode recorrer tanto ao próprio Tribunal de Justiça do Rio como ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.