Justiça congela bens na Zona Franca do AM

A Justiça Federal determinou o bloqueio de bens de dirigentes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), do presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), do responsável pela Mosaico Engenharia e de procuradores federais da Advocacia Geral da União na Suframa.

, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2011 | 00h00

As ações de improbidade, acatadas liminarmente, referem-se a supostas irregularidades na aplicação de R$ 3.785.699 em contrato para recuperação de ruas do Distrito Industrial de Manaus. Se condenados, os envolvidos devem ressarcir a União e perder a função pública, além de outras penas. Os bens bloqueados são da superintendente da Suframa, Flávia Grosso, e de mais quatro auxiliares diretos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.