Justiça de Goiás nega habeas-corpus a Vilma

A Justiça de Goiás negou nesta terça-feira à tarde o mérito do pedido de habeas-corpus referente à prisão preventiva de Vilma Martins Costa, no caso que investiga o seqüestro de Pedro Braule Pinto. A decisão foi dada pela 1ª Câmara Criminal em Goiás, em unanimidade do Tribunal de Justiça do Estado.Vilma Martins continua presa na Casa de Prisão Provisória (CPP), em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana de Goiânia, até que o outro pedido de habeas-corpus, referente ao processo que investiga a subtração de Aparecida Fernanda Ribeiro, a Roberta Jamilly, seja julgado.Vilma Martins está presa desde o dia 13 de maio e é acusada do seqüestro de dois bebês em maternidades em Goiânia e Brasília. As informações são da Rádio CBN.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.