Justiça de Minas Gerais nega habeas corpus ao goleiro Bruno

Advogados do goleiro entraram com outro pedido de habeas corpus nesta tarde

Julia Baptista, da Central de Notícias,

15 de julho de 2010 | 22h31

SÃO PAULO- O desembargador Doorgal Andrada, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, negou nesta quinta-feira, 15, liminar no pedido de habeas corpus impetrado por Bruno Fernandes, acusado de envolvimento no desaparecimento e suposto assassinato de Eliza Samudio.

 

Veja também:

linkQuebrado sigilo telefônico de cinco envolvidos no caso Bruno

linkEx-policial envolvido é ouvido em MG

 

Os advogados Ércio Quaresma Firpe e Claudineia Carla Calabund impetraram, na tarde de hoje, habeas corpus com pedido de liminar para o golerio do Flamengo. A distribuição foi feita para a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que funciona na Unidade Raja Gabaglia. O desembargador Doorgal Andrade será o responsável pela análise do pedido. O mérito do habeas corpus ainda será julgado pelos integrantes da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, na Unidade Raja Gabaglia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.