Justiça de São Paulo proíbe novas greves de metroviários

O Metrô de São Paulo está proibido de fazer uma nova greve. A decisão é do juiz Afonso de Barros Faro Júnior, da 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo. O juiz acolheu parte da ação movida pela Fazenda Pública contra o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo e os membros da diretoria executiva. A multa diária, em caso de descumprimento, foi fixada em R$ 100 mil. Faro Júnior, negou, contudo, o pedido de indisponibilidade de bens dos réus, alegando que eles não teriam condições de arcar com a indenização caso ela fosse exigida.Uma paralisação de metroviários no dia 15 de agosto deixou 2,8 milhões de pessoas sem transporte público. Os funcionários protestavam contra o que chamam de ?privatização? da Linha 4 - Amarela do Metrô. A linha ainda está em construção e as obras só serão concluídas em 2008.Segundo os metroviários, essa parceria foi a maneira encontrada pelo governo paulista para privatizar os serviços do Metrô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.