Justiça de SP concede liberdade a estudante que agrediu coronel da PM

Rapaz foi preso em flagrante durante manifestação do Movimento Passe Livre, em 25 de outubro

Lorena Tabosa, especial para O Estado de S. Paulo,

07 de novembro de 2013 | 18h14

SÃO PAULO - A Justiça concedeu liberdade provisória ao estudante Paulo Henrique Santiago dos Santos, de 22 anos, preso por tentativa de homicídio do coronel da Polícia Militar Reynaldo Simões Rossi. A decisão do juiz Alberto Anderson Filho, da 1ª Vara do Júri da Capital, veio 13 dias após a prisão em flagrante do universitário durante manifestação do Movimento Passe Livre, no dia 25 de outubro.

De acordo com o despacho do juiz, não havia justificativa para que Paulo Henrique permanecesse preso já que o Ministério Público não denunciou o estudante por falta de provas e pediu novas diligências para esclarecimento do caso. O universitário deve ser solto nesta sexta-feira, 8.

O suspeito teve três pedidos de liberdade negados, sendo o último na segunda-feira, 4, pelo desembargador Alex Zilenovski. Segundo a defesa, foram incluídos nesse quarto pedido os pareceres do perito Ricardo Molina sobre um vídeo que prova que o estudante não aparece em nenhum momento próximo ao policial.

Perícia. Paulo Henrique foi acusado de agredir o coronel da PM depois de ser reconhecido por meio de um vídeo. De acordo com a perícia feita por Molina, além de o estudante não ser visto em cenas de agressão ou depredando o patrimônio público, as imagens não permitem apontar quem agrediu o policial. Quem aparece no vídeo é um homem mascarado, sendo que Paulo estaria sem máscara no momento do crime.

Tudo o que sabemos sobre:
mplblack bloc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.