Justiça de SP rejeita pedido para fechar templos da Renascer

Ministério Público investiga desabamento do teto da igreja em 18 de janeiro, que deixou 9 mortos e 100 feridos

da Redação,

07 de março de 2009 | 14h21

A Justiça de São Paulo rejeitou na última sexta-feira o pedido do Ministério Público para fechar os templos da Igreja Renascer em Cristo no Estado, segundo informações da rádio CBN. A ação civil pública teve início em 30 de janeiro, duas semanas após o desabamento do teto da igreja que resultou na morte de nove mulheres e deixou 100 pessoas feridas.

 

Veja também:

mais imagens Galeria: imagens da tragédia

lista Todas as notícias sobre o desabamento 

 

Investigada entre 1998 e 1999 por falta de alvará, a Renascer voltou a entrar na mira do Ministério Público após o desabamento do telhado do templo no Cambuci, em 18 de janeiro. Embora a sede tivesse licença de funcionamento, a promotoria listou irregularidades, como a falta do aviso de lotação máxima e cadeiras não fixadas no chão. A promotoria apurou que 108 templos espalhados pela capital não têm autorização para funcionar.

Tudo o que sabemos sobre:
Renascer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.