Justiça decide até 4ª se pede prisão de tia e prima de Sophie

A menina de 4 anos foi internada com machucado na cabeça e morreu; ela tinha sinais de agressão no corpo

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

02 Julho 2009 | 18h11

O Ministério Público informou que o promotor da 1ª Vara Criminal de Santa Cruz, Luiz Antônio Ayres, decidirá até quarta-feira se denunciará à Justiça e pedirá as prisões da tia e da prima da austríaca Sophie Zange, de 4 anos, por tortura com resultado em morte. Geovana dos Santos, de 42 anos, e a filha dela, Lílian dos Santos, de 21 anos, foram indiciadas pelo delegado titular da 36ª Delegacia de Polícia de Santa Cruz, Agnaldo Ribeiro, no inquérito que apurou a morte da menina.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre a morte de Sophie

 

Sophie deu entrada no dia 12 de junho em coma na Unidade de Pronto Atendimento de Santa Cruz com um ferimento na cabeça. A criança morreu uma semana depois no Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias. De acordo com o laudo do Instituto Médico Legal, o corpo dela estava com vários hematomas produzidos em datas diferentes. O irmão dela, R., de 12 anos, também tinha marcas de agressões nos braços, segundo o IML. As suspeitas de maus tratos às crianças negam as acusações e dizem que Sophie caiu no banheiro.

 

As duas crianças austríacas foram trazidas pela mãe Maristela dos Santos, de 42 anos, sem a autorização do ex-marido, o austríaco Sascha Zanger, de 40, em Janeiro de 2008. Maristela foi morar com a irmã Geovana que a expulsou de casa em dezembro do ano passado e ficou com a guarda provisória das crianças. Há um ano e meio o austríaco tentava com o auxilio do Consulado da Áustria obter a guarda das crianças na Justiça brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.