Justiça decide soltar PMs envolvidos no atropelamento do filho de Cissa

Dois agentes são acusados de cobrar propina para liberar motorista que atropelou Mascarenhas

Marília Lopes, Central de Notícias

17 de dezembro de 2010 | 14h21

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) concedeu o pedido de habeas corpus aos policiais militares envolvidos no caso Rafael Mascarenhas. Marcelo José Leal e Marcelo Bigon são acusados de terem cobrado propina para de Rafael Bussamra, que atropelou Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães.

 

Os desembargadores da 5ª Câmara Criminal decidiram por unanimidade revogar a prisão preventiva dos PMs em sessão no final da tarde de quinta-feira, 16.

 

Rafael Mascarenhas morreu no dia 20 de julho, após ser atropelado por Rafael Bussamra no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio. Os PMs abordaram o carro de Bussamra, que tinha marcas de batida, mas liberaram o veículo. Segundo Bussamra, eles cobraram R$ 10 mil para liberar o carro. No dia 5 de outubro, Leal e Bigon foram expulsos da Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.