Justiça decreta prisão preventiva de Nem e ex-líderes comunitários da Rocinha

Já presos, os três são acusados por associação ao tráfico de drogas e posse ilegal de armas

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2011 | 18h57

RIO - A Justiça decretou nesta terça-feira, 6, a prisão preventiva de Antônio Bonfim Lopes, o Nem, ex-líder do tráfico de drogas na Rocinha, na zona sul do Rio, de William de Oliveira e de Alexandre Leopoldino Pereira da Silva, ex-líderes comunitários na mesma favela. Os três já estão presos. O trio apareceu em um vídeo semana passada supostamente negociando uma arma.

O Ministério Público acusa os três de associação para o tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. William, que era funcionário de gabinete da vereadora carioca Andrea Gouvêa Vieira (PSDB), foi preso e exonerado do cargo na sexta. Silva se entregou à polícia no mesmo dia. Ambos estavam presos temporariamente. Agora, o tipo de prisão mudou.

Já Luiz Carlos Cavalcanti Azenha Cruz e Demóstenes Armando Dantas, dois advogados de Nem presos em novembro, quando tentavam dar fuga ao traficante dentro do porta-malas de um Toyota Corolla, tiveram um habeas corpus (pedido de liberdade) negado hoje pelo Tribunal de Justiça do Rio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.