Justiça decreta prisão preventiva de sindicalista

A justiça de Guarulhos decretou a prisão preventiva do presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo, Edivaldo Santiago, pela morte do sindicalista Maurício Alves Cordeiro. Maurício era presidente do sindicato dos Motoristas de Guarulhos e foi assassinado a tiros em novembro de 2001. Segundo a promotoria, ele foi morto por disputa de poder e dinheiro. Edivaldo está preso desde maio, acusado de comandar esquema de corrupção no sindicato. Além de Edivaldo, a justiça decretou a prisão preventiva de José Carlos de Sena, que já está preso, e de Paulo César Barbosa, o Paulão, ambos acusados de tramar a morte do sindicalista de Guarulhos. Paulão esta foragido, e é investigado pelo assassinato de outros três sindicalistas. As informações são da Rede Globo

Agencia Estado,

01 de agosto de 2003 | 13h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.