Justiça determina prisão de ex-dono da Encol

Os desembargadores da 2.ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) do Distrito Federal confirmaram na quinta-feira a condenação do ex-dono da construtora Encol, Pedro Paulo de Souza, a seis anos de prisão, em regime semi-aberto, e pagamento de multa por gestão temerária e fraudulenta entre 1991 e 1997. O empresário ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os desembargadores do TJ concluíram que Pedro Paulo valeu-se da confiança das pessoas de boa-fé para cometer os supostos delitos. "Há nos autos indicação apontando no sentido de que o acusado tenha conduta desabonadora ante seu comportamento de mau administrador, colocando em desespero milhares de famílias brasileiras, que pouparam com dificuldade na busca da tão sonhada casa própria", justificaram. Conforme informações do processo divulgadas pelo TJ, a Encol estava em situação difícil desde 1993. Apesar disso, a empresa fez propaganda de novos empreendimentos e vendeu inúmeros imóveis. O Ministério Público argumentou que ocorreram diversas irregularidades na construtora. A descentralização administrativa dos caixas da empresa teria provocado dívidas impagáveis, por exemplo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.